fbpx

Vender a prazo pode ser a salvação ou a ruína do seu negócio. Saiba porquê!

Vender a prazo é a solução encontrada por muitas empresas para estimular as vendas em meio à pandemia. Afinal,  a crise do Coronavírus diminuiu o poder aquisitivo da população, mas não a sua necessidade de consumo.

As pessoas ainda precisam de alimentos, remédios e produtos essenciais, mesmo que não possam pagar à vista por eles. Para se adaptar a esse cenário, muitos empresários optam por flexibilizar as condições de pagamento e vender a prazo, mesmo sem ter uma gestão de risco de crédito adequada.

A consequência disso? Um risco altíssimo – aumento da inadimplência, desequilíbrio no fluxo de caixa e prejuízos para o negócio.

Este cenário está acontecendo na sua empresa? Calma que vamos te ajudar!

Neste artigo, vamos te mostrar porque é importante vender a prazo com segurança e preservar a saúde financeira do seu negócio. Continue conosco e descubra como conceder crédito sem ficar refém de calotes!

Mas, afinal, de que forma vender a prazo pode arruinar seu negócio?

Imagine que quando um cliente novo chegando em uma loja, e o vendedor oferece o produtos cujo  preço que não cabe no seu orçamento, mas facilita a compra por meio da venda parcelada. O cliente volta para casa com a geladeira, mas, também, com uma dívida que não terá condições de pagar.

Pode parecer estranho, mas essa situação é mais comum do que se imagina. Na verdade, o percentual de famílias brasileiras endividadas alcançou 66,5% em maio de 2020, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Isso significa dizer que vender a prazo pode atrair clientes, mas com tantos brasileiros endividados, as chances de inadimplência também crescem.

A concessão de crédito sem análise dificulta a projeção financeira

Facilitar o parcelamento sem a devida atenção à capacidade do cliente de honrar com a dívida aumenta as chances de a empresa receber calote.

Ficando a mercê da inadimplência e sem garantias de que vai receber pelo que vendeu, o empresário não consegue ter sua previsibilidade financeira, nem  projetar quanto dinheiro terá para pagar despesas, funcionários e fornecedores ou investir no negócio.

Ou seja: as finanças do negócio perdem o controle!

A inadimplência gera desequilíbrio no fluxo de caixa

A falta de planejamento na hora de vender a prazo dificulta o controle do dinheiro que entra e sai da empresa. Assim, quanto mais clientes inadimplentes, maior a dificuldade de manter o negócio funcionando.

A longo prazo, essa redução no fluxo de caixa pode desencadear problemas relacionados, como a falta de recursos para arcar com despesas fixas e, até mesmo, a falência do negócio.

Então, como vender a prazo com mais segurança?

Para evitar potenciais dores de cabeça com a falta de pagamento, é essencial que o empresário faça uma boa gestão de risco de crédito. Mas, como você pode fazer isso na prática? Confira nas dicas abaixo!

Desenvolva uma política de crédito consistente

Antes de iniciar a venda parcelada, defina todos os critérios e procedimentos que serão adotados para analisar a concessão de crédito. Com esses objetivos alinhados, fica mais fácil determinar os limites de crédito e prazos de pagamento, assim como projetar e preservar o faturamento da empresa de forma mais segura.

Faça uma previsão de como a inadimplência pode impactar seu negócio

Calcule o índice de inadimplência que é suportável para as finanças do seu negócio, para delimitar quais os prazos e riscos da concessão de crédito. Assim, você cria uma espécie de termômetro para projetar de que forma as dívidas não pagas podem prejudicar o fluxo de caixa da empresa e como você pode reagir para compensar potenciais perdas financeiras.

-Verifique o histórico financeiro dos clientes

Consultar o histórico de dívidas dos seus clientes antes de fechar negócio é a medida mais importante para evitar calote. Ciente da situação financeira atual dos seus potenciais parceiros, você tem mais chances de fechar melhores negócios e fugir da inadimplência.

Com uma boa gestão de risco de crédito, você pode vender a prazo de maneira mais sustentável para o seu negócio. Quer garantir bons pagadores e conceder crédito com mais segurança? Então aproveite esse presente especial que a Parceria Consulta Serasa preparou para você: uma Consulta de CPF ou CPNJ inteiramente grátis! Acesse seu presente experimente o serviço que pode revolucionar a gestão de crédito do seu negócio!

Conquiste e fidelize mais clientes com estas 5 Técnicas de Rapport

As técnicas de Rapport são muito importantes nas vendas e na fidelização dos clientes. Elas consistem basicamente em gerar empatia, harmonia e confiança, entendendo os sentimentos e ideias do outro e, assim, estabelecendo uma boa comunicação.

Originárias da Psicologia, as técnicas de Rapport possuem várias aplicações em distintas áreas, pois objetivam compreender as pessoas a ponto de perceber quais são suas reais necessidades, que muitas vezes são diferentes daquelas que são ditas.

Sabendo do quanto este conceito tem potencial de gerar mais negócios explicaremos, abaixo, algumas técnicas de Rapport para te ajudar a melhorar o atendimento ao seu cliente. Confira!

Como aplicar as técnicas de Rapport para conquistar mais clientes?

Já que entendemos um pouco sobre o que é Rapport. Agora vamos trazer esse conhecimento para a  prática, com algumas técnicas pontuais.

1-    A escuta Ativa e Reflexiva

Exercer a escuta ativa na comunicação com seu cliente é fundamental, pois com ela você entende e retorna as necessidades que o cliente está comunicando explícitamente, interpretando e compreendendo o que está sendo dito. Ou seja: o cliente faz uma pergunta e você responde diretamente ao que ele perguntou.

Já escuta reflexiva pode ser considerada um complemento da escuta ativa. Trata-se de  ouvir atentamente o que o outro diz, entender e repetir usando suas próprias palavras, para confirmar a compreensão da solicitação. Além de gerar no cliente um sentimento de conexão e compreensão, essa prática permite corrigir equívocos de comunicação e encurtar o processo de atender à necessidade do cliente. Vamos a um exemplo:

Cliente diz: Estou procurando uma blusa bonita como a da atriz da novela, na cor vermelha.

Vendedor diz: Ah, sim. Você quer ver blusas no mesmo modelo que a protagonista da novela usa? Aquelas curtinhas e de alcinha?

Ou seja, o vendedor especifica um modelo para se delimitar a solicitação da cliente, que estaria ambígua e poderia fazer com que o vendedor a mostrasse a loja inteira. 

2-    Trate seu cliente pelo nome

Tratar seu cliente pelo nome pode parecer bobagem, mas de fato não é! O próprio nome é uma das palavras mais importantes para a pessoa, é a sua identidade. Nos chama pelo nome quem é de próximo, pessoas em quem se pode confiar.

 Além de gerar essa confiança, ainda  faz com que ele se sinta importante e valorizado, dando mais atenção ao que é dito. Por telefone a prática também é muito importante, visto que o contato visual não está presente. Assim, tratando o cliente pelo próprio nome, além de gerar mais simpatia e respeito, ainda desperta mais interesse no ouvinte ao que está sendo dito.  

3 – A Técnica do Espelhamento

Como o próprio nome já diz, trata-se, de uma técnica onde espelhamos o comportamento do cliente:  seus gestos, tom de voz, postura corporal e até mesmo algumas palavras ou linguagem própria dele. 

Esta prática permite que o cliente sinta-se mais confortável e disposto a confiar em você, já que essa técnica faz com que o cliente enxergue alguém como ele. Mas é preciso tomar cuidado com exageros, pois pode parecer que você está debochando do cliente o que causaria pontos negativos nessa relação.

4- A Quick Win (A vitória rápida)

Essa é uma técnica de rapport para demonstrar autoridade no assunto. Muito utilizado em ligações telefônicas para criar uma abertura e confiança do seu cliente em seu serviço. 

Essa técnica é basicamente oferecer uma dica rápida e passa a sensação ao cliente de que você tem as soluções que ele busca para seus problemas. Vamos a outro exemplo prático? Voltemos a considerar a cliente que visita uma loja de roupas:
Cliente: Estou procurando uma blusa bonita como a da atriz da novela, na cor vermelha.

Vendedor: Ah, sim. Você quer ver blusas no mesmo modelo que a protagonista da novela usa? Aquelas curtinhas e de alcinha? Aproveite para olhar também saias, pois além de combinarem muito com essas blusas, estão com 50% de desconto!

5- Aplicando técnicas de Rapport na comunicação online

Atualmente, grande parte do contato com o cliente é realizado via internet, por mensagens de rede social,  via WhatsApp ou por e-mail.  Então, é muito valioso saber utilizar as técnicas de rapport também para esses meios.

As dicas acima podem e devem ser replicadas na comunicação online com alguns cuidados, pois a comunicação escrita possui algumas limitações. Isso porque, na maioria dos casos, a comunicação se dá na forma escrita, desconsiderando tom de voz e expressão corporal, o que muitas vezes dificulta a interpretação.

Espelhar ideias, de forma a reiterar o que seu cliente diz é uma dessas formas. Mas o cuidado deve ainda ser maior para transcrever o que o cliente disse com a linguagem própria do atendente sem passar a impressão de deboche. Usar a expressão “Deixa eu ver se eu entendi, então sua solicitação é….” pode ser um bom recurso.

Chamar pelo nome sempre é bem-vindo, isso fará com que ele crie associações inconscientes positivas para você. Além disso, a prática também humaniza a comunicação, fazendo o cliente entender que está sendo atendido por outra pessoa e não por uma automação – um robô.

Observe o uso da linguagem adequada, para deixar a comunicação leve mas sem perder a credibilidade. Há muitas empresas que usam descontração e humor no atendimento online, como a Netflix, por exemplo e, nesses casos, o uso de emojis pode trazer muitas vantagens, gerando carinho, conexão, humor e até mais clareza na comunicação.

Mas é preciso cuidado para não errar a dose. É muito importante sentir o estilo do cliente e usar espelhamento para replicar a linguagem que ele utiliza. Opte por ir trazendo pequenas doses de humor e observar se o cliente responde da mesma forma, ou se ele volta para o tom mais formal. No caso da segunda opção, deve-se seguir a comunicação formal tradicional, sem forçar excessos. 

Me conta, gostou dessas dicas de rapport para conquistar e fidelizar mais clientes?

Comente o que achou, curta e compartilhe! Afinal, há sempre um amigo que irá se beneficiar com essas dicas. 😉

5 dicas para reduzir a inadimplência dos seus clientes

Encontrar formas de reduzir a inadimplência é uma das principais preocupações do varejo atualmente, diante da crise do novo coronavírus. A brusca queda no rendimento de muitos trabalhadores gera dificuldades para que eles mantenham as suas pagamentos em dia, sendo uma das principais causas para resultados negativos na economia do país. 

Basta acompanhar as notícias para perceber: uma das principais consequências da crise econômica no varejo é o aumento da inadimplência. E ela impacta diretamente o fluxo de capital das empresas que deixam de receber em dia, desestabilizando a sustentabilidade do negócio.

E  a tendência é que a inadimplência cresça ainda mais, visto que inúmeras lojas estão proibidas de abrirem as portas pelas autoridades públicas em diversos estados do país.

Reduzir inadimplência em momento de crise é um grande desafio 

Só no mês de maio, o percentual de famílias com dívidas em cartão de crédito, cheque especial, empréstimo pessoal, prestações de financiamentos e carnês de loja, foi de 66,5%, segundo Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) desde janeiro de 2010. 

A maior alta, desde que a pesquisa é realizada, foi no mês passado, abril, no qual a inadimplência chegou a 66,6%.

No gráfico abaixo, é possível observar também a evolução do PDD (Provisão de Devedores Duvidosos) trimestral nos grandes bancos de capital aberto do Brasil, atingindo aproximadamente 28,5 milhões de reais.

Para evitar que a sua empresa sofra com essas estatísticas, é importante ter algumas cartas na manga. Continue conosco e saiba quais são!

5 dicas para reduzir a inadimplência

Para adaptar as atividades da sua empresa ao que temos chamado de “novo normal”, selecionamos 5 dicas assertivas para te conduzir na redução da inadimplência nos seus negócios. 

Combinando boa gestão, comunicação eficiente e ferramentas adequadas, além de reduzir a inadimplência, você também pode fidelizar seus clientes. Confira!

  1. Mantenha um bom relacionamento com seus clientes

Os seus clientes podem estar em uma situação econômica complicada, então nada como exercer a empatia neste momento. Faça contatos periódicos para ver se está tudo bem, invista em ações de marketing de relacionamento e seja sempre gentil e amigável nas comunicações, principalmente nas de cobrança. 

Desta forma, seus clientes sentirão que são importantes para a sua empresa e que você faz questão de se comunicar não apenas para vender, mas também para levar facilidades a eles.  

  1. Mantenha os dados atualizados

Para conseguir cobrar seus clientes em caso de atrasos, manter os dados deles atualizados nos registros da sua empresa é fundamental. Para isso, existem tecnologias que podem te auxiliar, como ferramentas de CRM, ferramentas de automação de marketing e até serviços de localização dos dados de contato do cliente por meio do número do CPF – como o INFOBUSCA do Serasa, por exemplo.

  1. Flexibilize as condições de pagamento

Flexibilize condições para seus clientes – principalmente para os que estão preocupados em pagar. É importante valorizar o interesse deles em manter os regularizar as dívidas que têm com o seu negócio, mesmo que estejam passando por dificuldades financeiras. 

Neste momento você pode aproveitar para ser criativo e enviar comunicações a todos os inadimplentes oferecendo prazos especiais, descontos, brinde, entre outros. Além de aumentar as chances de receber, a chance de fidelizar este cliente e ele voltar a comprar com você assim que regularizar seus pagamentos, é enorme!

  1. Premie os adimplentes

Premie os adimplentes com descontos, brindes, melhores condições de parcelamento e aumento no limite de compras, por exemplo. Desta forma, fidelizará estes clientes e incentivará os inadimplentes a negociarem as dívidas com a sua empresa, reduzindo a inadimplência deles!

  1. Monitoramento de score

Fique sempre de olho na saúde financeira de seus clientes, principalmente os que compram a prazo. Utilize a alta ou queda do score na pontuação do Serasa, por exemplo, como termômetro para oferecer vantagens nas compras com a sua empresa

Em caso de alta, por exemplo, pode-se liberar mais crédito. Já em caso de queda, estreite o contato antes mesmo do atraso do pagamento para  verificar se o cliente irá precisar flexibilizar as condições de pagamento.

Você já tinha pensado nestas maneiras de reduzir a inadimplência na sua empresa? Podemos te apoiar em diversas ferramentas de gestão de crédito!Entre em contato conosco e aproveite seu o presente super especial que preparamos para você: uma consulta de CPF ou CNPJ grátis! Clique aqui para saber mais!

Endividamento geral bate novos recordes com a crise do Coronavírus: Como proteger a sua empresa?

Os transtornos econômicos trazidos pela crise do coronavírus não são poucos e o endividamento geral é um dos impactos mais agressivos. Segundo a pesquisa Sondagem do Consumidor, publicada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), 28,6% dos brasileiros já enfrentam o chamado “estresse financeiro”

Isso significa que aproximadamente 60 milhões de pessoas, além de não conseguirem cumprir com seus compromissos econômicos, também estão ganhando menos do que precisam gastar para o essencial.

A pesquisa sobre o “estresse financeiro”, que vem sendo realizada desde 2009 no Brasil, revelou novo recorde no último mês – abril 2020 – conforme gráfico abaixo:

Além disso, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o número de famílias com dívidas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro bateu novo recorde em abril de 2020, alcançando 66,6% – o maior percentual desde o início da realização da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), em janeiro de 2010.  

 A atual instabilidade do mercado gera uma série de dúvidas: como manter o fluxo de vendas necessário para a saúde do negócio, se o brasileiro está mais inadimplente que nunca e  possui menor poder aquisitivo? Quer saber como continuar vendendo mesmo em meio a crise? Então, acompanhe esse artigo que preparamos para você.

Endividamento geral causa aumento na tomada de crédito    

            O endividamento geral é causa da grande baixa nas perspectivas dos brasileiros quanto a conseguirem para as contas – 52% deles declararam que conseguirão pagar apenas parte ou não conseguirão pagar as contas neste momento. Dentre estes 52%, a tomada de crédito, portanto, tem sido a saída a qual 83% estão recorrendo.

São diversas as modalidades de crédito que as instituições financeiras têm oferecido aos seus clientes, conforme é possível observar no gráfico abaixo. 

Cartão de Crédito e Empréstimo Pessoal em Loja somam 12% da escolha dos endividados, o que pode ser visto como uma boa porta de entrada para a formulação de propostas de crédito pelos varejistas.

Como proteger a sua empresa dos impactos do endividamento?

O poder aquisitivo imediato do brasileiro diminuiu, mas sua necessidade de consumo, em muitos aspectos, não. Sendo assim, conseguir dispor de opções de pagamento parcelado, pode ser um dos recursos mais importantes para que o seu negócio não enfrente bruscas quedas de vendas.

Porém, neste assunto é necessária muita atenção e responsabilidade. Lembremos que o endividamento geral traz problemas  não  apenas para os consumidores, mas também para as empresas que, ao deixar de receber, comprometem  a sustentabilidade de seus negócios. 

Sendo assim, ao ceder crédito para clientes que não vão conseguir pagar, sua empresa pode estar criando um problema bem grande.

Mas a pergunta é: como oferecer vendas parceladas com maior segurança de recebimento? Consultar o histórico financeiro dos clientes não só é uma das melhores saídas.

Ao avaliar o perfil de consumo de um cliente, pelo seu Score do Serasa e consultando se há negativações em virtude de dívidas, você reduz os riscos, uma vez que terá condições de escolher oferecer condições de pagamento parcelado para os perfis melhores pagadores.Para te ajudar neste primeiro passo de melhorar sua estratégia de gestão de crédito, a Parceria Consulta Serasa tem um presente muito especial para você: a consulta de um CPF ou um CNPJ totalmente grátis! Acesse nosso site e cadastre-se agora mesmo!

Conheça a opinião de nossos parceiros: porque indicam a Parceria Certificadora?

Faz parte da cultura da Parceria Certificadora conversar periodicamente com nossos clientes e parceiros sabermos como está a qualidade dos nossos serviços na  opinião de quem mais importa: quem recebe nosso atendimento!

Nossa última conversa foi com a Ferres Serviços Contábeis, escritório de contabilidade com mais de 22 anos de atuação em Passo Fundo – RS. Já como nosso parceiro, atuam há 16 anos, indicando exclusivamente a Parceria Certificadora para seus clientes.

Ficamos extremamente felizes com o carinho e reconhecimento que recebemos, e queremos compartilhar deste sentimento com você! Confira! =D

Quem é o Parceiro – Ferres Serviços Contábeis

Fundada em 1998 com o objetivo de prestar serviços de contabilidade a empresas de pequeno, médio e grande porte, a Ferres Serviços Contábeis atua na gestão de Operações Fiscais para clientes; suporte para a gestão de pessoas e suporte ao processo de gestão empresarial. A empresa localiza-se na Rua Dr. Gelson Ribeiro, 247 – Bairro Vera Cruz.

Depoimento do Cliente

“Indicamos aos nossos clientes que precisam emitir certificados digitais, principalmente pela confiança, credibilidade e, sobretudo, pelo bom atendimento. O atendimento, aliás,  é o diferencial da Parceria com relação aos demais.

Aí na Parceria Soluções, desde o momento que o cliente chega na empresa,   já se sente especial. A disposição, a proatividade do pessoal que atende e a agilidade do atendimento fazem o cliente se sentir bem em estar ali.

Nós, como escritório de contabilidade, apenas indicamos os parceiros em quem confiamos. Quem determina onde quer emitir seu certificado é o cliente – a decisão final é dele!  

Então, até podemos considerar que em uma primeira emissão nossa indicação tenha um grande peso. Mas o cliente que emite com a Parceria, retorna para renovar. Então, se os clientes continuam com vocês, é porque de fato eles gostam e confiam no serviço.

O motivo dos retornos, eu imagino que seja porque o cliente já conhece vocês, já confia, já sabe que será bem atendido. E, somado a isso,  há outros fatores que agilizam o processo…

Nas renovações, a própria Parceria já sinaliza quando faltam 60 dias para vencer, agenda a data da renovação e nos envia a lista de documentos necessários. A gente só encaminha tudo e o atendimento ocorre  hora com marcada. O processo todo é rápido, e isso é bem importante. O disponível do cliente é bem curto, e com a Parceria ele não perde tempo… tudo é previamente  agendado e organizado… é só,  praticamente ele comparecer e assinar.

Mas, sem dúvidas, todo este cuidado do atendimento e da agilidade é que fazem a diferença.

O empresário, em geral, já tem a vida bem corrida… sai, às vezes, de um ambiente tumultuado, de um dia lotado, para cumprir com uma obrigação contábil – suas expectativas não são as melhores.

Então, ele chega na Parceria Soluções, que dispõe de um espaço tão acolhedor… É bem atendido, tem o seu problema resolvido, têm facilidade de estacionamento…

Aliás, muitos clientes  pontuam aqui a facilidade de estacionamento como muito importante, pois alguns vêm de outras cidades e, para chegar na Parceria Certificadora é muito mais fácil do que ter que se deslocar pro centro da cidade, por exemplo.

Então, o que nos leva a dar preferência a indicar a Parceria em vez de outras certificadoras, é este conjunto todo, que gera muita satisfação ao cliente. Nós, como escritório de contabilidade, queremos que nossos clientes tenham uma boa experiência de consumo ao emitir seu certificado com uma empresa que indicamos. Pois, assim, quando estiverem satisfeitos com o parceiro que indicamos, estarão, também, satisfeitos conosco e o laço de confiança deles conosco também é fortalecido. E, felizmente, com a Parceria Certificadora, temos este resultado!”.

5 dicas para retenção de clientes em escritórios de contabilidade

Melhorar a retenção de clientes do seu escritório de contabilidade é muito melhor que atrair vários clientes novos. Sabe porque?  Atrair um cliente novo custa, geralmente, cinco vezes mais caro que manter ativo um cliente mais antigo.

Os motivos são óbvios: fazer uma nova venda toma muito mais tempo, exige mais esforço da equipe e envolve, muitas vezes, custos com propaganda, assessoria jurídica para redigir novos contratos e até comissionamentos de vendedores.

Via de regra, reter e fidelizar seus clientes, apesar de não ser tarefa fácil, garante recorrência financeira e um crescimento sólido ao seu negócio. E para conseguir garantí-la, manter a satisfação plena do cliente deve ser um objetivo que norteia o trabalho de todos os membros da equipe: desde a recepção até a alta gestão.

Confira, abaixo, 5 dicas valiosas que irão lhe ajudar a reter e a fidelizar seus clientes.

1-  Retenção de clientes não existe sem bom atendimento  

Realizar serviços contábeis todos os seus concorrentes fazem, o diferencial para reter um cliente e, assim,fidelizá-lo sem dúvidas é o atendimento.

Certifique-se de treinar e qualificar sua equipe para atender seu cliente com agilidade e assertividade. Além de cortesia e boa educação, na contabilidade é imprescindível trabalhar com planejamento e antecipação prevendo, inclusive, possíveis necessidades do seu cliente mesmo antes que ele as solicite.  

Um exemplo disso é controlar a validade do certificado digital do cliente, por exemplo – compromisso, este, que geralmente passa despercebido quando o escritório de contabilidade não o alerta dos prazos. 

2-  Entregue valor agregado  

Para manter o cliente satisfeito, é necessário entregar valor agregado à sua prestação de serviços. Ou seja: é preciso ir além de prestar serviços contábeis. Mas como fazer isso?

Informe-se, atualize-se, entenda o negócio do seu cliente. Apresente tendências, observe os concorrentes, proponha soluções econômicas e criativas. Em suma: seja mais que um contador, seja um verdadeiro parceiro de negócios. 

Seja o parceiro que antecipa soluções, evita problemas e cuja opinião se torna indispensável na tomada de decisão estratégica.  Até porque, se o seu cliente crescer, provavelmente o seu escritório de contabilidade vai crescer junto.  O escopo do trabalho contratado pode vir a aumentar, e o seu faturamento médio com aquele cliente aumenta junto, consequentemente.

Ao entregar valor agregado, você proporciona ao cliente muito mais confiança e gera uma preferência absoluta. Quanto maior for o impacto do valor agregado do seu trabalho no negócio do cliente, menor vai ser a probabilidade dele cogitar trocar de escritório quando receber propostas com orçamentos menores. E maior, também, será a chance deste cliente te indicar para outras oportunidades de negócio.  

3 – Comprometimento no cumprimento de Prazos 

Cumprir os prazos é priormordial para quem procura reter clientes. Além de ser uma das prioridades máximas nas rotinas dos escritórios de contabilidade, sob pena de gerar multas e punições para o cliente.  Além de garantir o cumprimento das obrigatoriedades contábeis, tal atitude demonstra para seus clientes o quanto você é comprometimento com o trabalho, favorecendo (e muito) o relacionamento com o cliente.  

Para alcançar esse resultado, é preciso que o escritório crie a cultura da antecipação. Ou seja: o trabalho deve ser organizado de modo que todos os documentos e atividades sejam concluídos pelo menos um dia antes do prometido ao cliente. 

Além de possibilitar momentos de surpresas agradáveis aos seus clientes, tal postura dá margem de segurança para possíveis imprevistos, garantindo que seu escritório realize suas entregas dentro dos prazos do Fisco, evitando multas e problemas com os órgãos responsáveis.

E quando o cliente esquece algum documento? Bem,  esta é a hora de seu escritório se destacar! Aproveite a ocasião para fazer a gentileza de lembrar seu cliente com educação e presteza, facilitando a vida dele. 

4 – Retenção de clientes também é ajudá-lo a entender as obrigatoriedades fiscais

Muitas vezes, por não entender direito o que precisa ser feito, os clientes acabam perdendo tempo (e dinheiro) ao emitir documentos e certificados. Um exemplo é o caso dos certificados digitais.

Geralmente o cliente chega até o estabelecimento emissor sem entender que tipo de certificado precisa fazer e qual será sua finalidade. Há muitos casos de equívoco, com emissão do tipo errado de certificado, gerando desperdício de tempo e de dinheiro. E, além disso, são muito comuns também os casos de falta de documentos, que impedem a emissão do documento. 

Para ajudar seus clientes a cumprir com suas obrigatoriedades, tenha uma conversa esclarecedora, explicando a real necessidade do que ele precisará emitir, o tipo do documento que precisa e listando todos os documentos que ele precisará levar. 

O seu tempo e o tempo do cliente são preciosos. Ao otimizálo, a retenção dos clientes é muito maior.

5- Construa uma boa rede de parceiros

Há muitos serviços complementares que os escritórios de contabilidade precisam solicitar aos seus clientes. Contar com uma boa rede de indicações pode auxiliá-lo no processo de retenção e fidelização de seus clientes, visto que eles muitas vezes não têm conhecimento técnico para escolher o fornecedor correto.

Para a emissão de Certificados Digitais, conte com a Parceria Certificadora! Além de oferecer segurança, eficiência e capilaridade, estando presentes em mais de 40 postos de atendimento em Passo Fundo e região, a Parceria também auxilia os escritórios parceiros com o controle da validade dos certificados dos seus clientes.

Desse modo, seu time se desvincula desta atividade e ganha tempo para fortalecer o relacionamento e aumentar a retenção de clientes, agregando ainda mais valor aos seus serviços prestados. 

Quer saber como se tornar um escritório Parceiro? Entre em contato!

Estratégias de gestão para superar a crise financeira

A epidemia causada pela covid-19 tem provocado diversos impactos em todas as camadas da sociedade. Porém, além da área da saúde, o setor empresarial também tem enfrentado dificuldades, e quem souber aplicar boas estratégias de gestão tem mais chances  de se manter firme e longe das dívidas.

A redução de possibilidades de fechamento de negócio, bem como a insegurança dos consumidores em relação às compras, estão afetando diretamente empresários de todo o país e acarretando no fechamento de diversas empresas.

Sabendo disso, separamos aqui 5 estratégias de gestão para você aplicar e passar por essa recessão bem longe do fantasma da falência. Confira abaixo e se mantenha firme durante essa crise!

1.   Negociar pagamentos

Com a baixa no recebimento de capital, muitas vezes fica difícil manter as contas com adimplência e pagar todos os fornecedores. Sendo assim, para não ter que pagar juros e outros tributos mais tarde, o ideal é negociar os pagamentos com fornecedores e outros parceiros.

Adiar parcelas ou fazer uma renegociação de modo a estendê-las em um valor diluído são sempre ótimas opções. 

Com isso a companhia pode ter um “respiro” para se organizar financeiramente e elaborar novos meios de sobreviver a baixa entrada de lucro nos próximos meses.

2.   Suspender contratos não essenciais

Mesmo que a redução no quadro de empregados seja uma das estratégias de gestão menos agradáveis, ela pode ser bastante eficaz para conter os prejuízos nesse momento de crise. Com a redução da demanda é possível que alguns colaboradores  fiquem ociosos e isso acaba tornando o investimento na sua remuneração em um custo dispensável.

Sendo assim, por mais desagradável que seja, realizar demissões ou suspensões de contrato pode ser o diferencial que ajudará a sua empresa a superar esta crise. Nossa dica, para este momento difícil, é agir com cautela e de maneira racional, avaliando detalhadamente as possibilidades de desligamento e o impacto negativo que eles podem trazer à produtividade da empresa.

Salientamos, também, a importância de um diálogo franco junto aos seus colaboradores, explicando o real motivo do desligamento e deixando portas abertas para o retorno de profissionais importantes para o seu negócio logo que tudo se normalize.

3.   Antecipar recebíveis

Caso a companhia tenha algum saldo a ser recebido ou retirado, esse é o melhor momento para fazer uso dessa quantia. Converse com clientes e demais compradores e explique a atual necessidade da empresa. 

Nessa situação, toda quantia pode ser de grande ajuda para evitar a quebra do sistema econômico. Dependendo da sua necessidade de injeção de caixa, inclusive, vale a pena oferecer descontos para antecipar o recebimento de parcelas. Avalie essa possibilidade com atenção e faça boas ofertas.

4.   Manter-se remota e digitalmente próximo do cliente

Nesse momento de pandemia é muito comum que os consumidores se sintam receosos em relação a um contato próximo com as empresas. Isso porque o contato físico oferece sérios riscos de contágios, e muitos brasileiros, principalmente no interior do RS, ainda não estão habituados aos novos recursos tecnológicos para a comunicação.

No entanto, este é um dos poucos limões que pode render uma boa limonada em meio a esta crise. Nossa dica é aproveitar o cenário atual, em que todos estamos aprendendo a nos virar de maneira remota e digital, para criar novos canais de comunicação com seu cliente. 

Enviar mensagens humoradas e esperançosas, desde que façam sentido para o seu negócio, pelas redes sociais, pode ajudar de várias formas: fortalece a sua marca na memória do cliente, constrói um laço afetivo e ainda aumenta a possibilidade de conexão com novos clientes. Principalmente neste momento em que a porta de tantos comércios está fechada!

Há, também, outra importante vantagem em manter uma forte comunicação digital com o seu cliente: abrir os caminhos para a prestação de serviços de maneira remota ou para a venda online. Recurso, este, que pode ser a salvação econômica de muitos pequenos negócios na crise atual. 

5.   Adaptar sua rotina de operação e continuar vendendo

Mesmo que a crise esteja batendo na porta, não há estratégia de gestão mais eficaz que manter a produtividade e a comercialização. Ainda que a demanda e a procura baixem, toda venda é importante e pode trazer resultados positivos para a empresa. Nem que seja apenas para a motivação do time, o que faz toda a diferença!

Para se adaptar a essa nova fase, é importante fazer uso da automação, facilitando os processos do dia a dia e tornando-os menos complexos. Para isso, os sistemas ERP fazem toda a diferença, pois integram vendas ao estoque em tempo real, permitindo a você fechar negócios de onde estiver!

Para saber mais, confira em nosso site as vantagens de automatizar a gestão da sua empresa e gerenciá-la com atualização em tempo real de onde você estiver!

Clique aqui para começar uma conversa com nossos especialistas do ERP Parceria

5 Práticas para evitar calote

O calote com toda a certeza é um dos maiores temores dos empresários. Afinal, ele pode ser o agente causador de muitos problemas financeiros e, em alguns casos, até da falência de uma organização.

Como se diz por aí: vender é fácil, difícil é receber! E evitar o calote nem sempre é uma tarefa fácil. Muitos empresários ficam receosos em impor condições específicas para a compra pelo risco de acabar reduzindo as vendas. Assim, flexibilizam a favor do cliente, o que aumenta seus riscos com a inadimplência.

Para te ajudar a sempre receber em dia, vamos detalhar nesse artigo 5 dicas práticas e efetivas para evitar o calote. Assim, não será tão difícil  fazer negócios com clientes dispostos a pagar corretamente. Continue conosco e saiba mais!

1. Dificulte o calote por meio de um contrato

Não ter um contrato é um erro comum, mas que pode facilitar a vida de clientes mal intencionados, os caloteiros especialistas.  

Isso porque a falta de um documento formalizado faz com que o negócio se torne menos importante na visão do cliente, além de empresário não ter garantias jurídicas para realizar a cobrança.  

Consequentemente, apresentar um contrato de adesão no momento da venda é essencial e pode te ajudar bastante a diminuir a inadimplência da sua organização. Além disso, ele também se fará útil no futuro, caso precise de uma prova judicial da comercialização realizada.

Os contratos podem ser aplicados de maneira mais automatizada e reduzida, para o caso de parcelamento de vendas de produtos, contendo suas cláusulas junto ao carnê das prestações que receberá a assinatura do cliente, por exemplo. 

E, para assinar contratos de maneira segura, em tempos de pandemia, lembre-se que você pode usar a assinatura digital, sobre a qual falamos neste outro artigo, assegurando a segurança de ambas as partes.

2.  Faça uma consulta do CPF

Pedir o CPF para consulta prévia é uma maneira fácil e rápida de verificar se o cliente possui um histórico de adimplência com suas contas e consultar seu Score junto ao Serasa. 

Caso o indicador do cliente seja ruim, evite a venda a prazo. Vale mais a pena não fazer esta venda que contar com o compromisso de pagamento de um cliente com histórico de calotes. Lembre-se: este mesmo produto ou serviço que você deixou de vender, para um cliente com alta probabilidade de não pagar, poderá ser oferecido a um outro cliente bom pagador. 

3.   Nunca deixe de fornecer a nota fiscal

Quando uma venda não tem nota fiscal, ela não possui validade legal. Sendo assim, o cliente pode facilmente aplicar um calote e alegar judicialmente que nunca realizou a compra.

Portanto, faça uso de um software adequado para emissão de notas e as mantenha sempre em um local adequado. Com isso, de maneira simples e segura você adquire recursos judiciais para apresentar e cobrar seus direitos.

4.   Mantenha o limite em níveis cautelosos

Fornecer um grande limite logo nas primeiras compras é uma atitude de alto risco, mesmo que o resultado da análise de crédito tenha sido positivo.

O ideal é primeiro criar uma relação com o cliente e verificar seu comportamento em relação a compra no contexto atual, principalmente considerando o cenário de crise para alguns setores em função da pandemia.

Assim, a melhor prática é ir liberando pequenos limites de crédito que vão aumentando gradualmente, de acordo com o histórico de adimplência do cliente junto ao seu negócio. 

5.   Invista em análise de crédito

Não há maneira mais efetiva de evitar os calotes que realizando uma análise de crédito completa. E contar com um serviço especializado para essa tarefa é a melhor opção. 

Através dele você poderá saber muito mais do que a regularidade atual de pagamentos do cliente, tendo acesso seu histórico financeiro e seu perfil de comportamento como consumidor.

Para te ajudar nesta difícil missão de definir quanto de crédito oferecer e para quem, a Parceria Soluções dispõe do serviço Parceria Consulta Serasa, que conta com o maior banco de dados da américa latina para analisar o risco em potencial que cada CPF representa para a empresa e determina se ele deve receber um voto de confiança para maiores limites e parcelamentos mais estendidos ou não.

Mais que fornecer acesso a um sistema, a Parceria Soluções dispõe de consultores técnicos que estão a postos para te ajudar com qualquer dúvida ou aconselhamento sobre concessão de crédito a clientes em potencial. Aqui, a Parceria não está somente no nosso nome. Estamos junto com você, lado a lado, na batalha para aumentar as vendas e reduzir o calote! Entre em contato e descubra todas a maneiras com as quais podemos te ajudar!

CHAMAR NO WHATSAPP

Assinatura Digital de contratos: como funciona e quais as melhores opções no interior do RS

Com a atual crise na saúde causada pela pandemia do novo coronavírus, todo o país teve que tomar medidas drásticas para conter a propagação da Covid-19. No Rio Grande do Sul, as principais medidas são relacionadas ao fechamento do comércio de serviços não essenciais (como saúde e alimentação), dos serviços em gerais, como cartórios e o isolamento social, extinguindo o contato interpessoal para impedir a propagação do vírus.

Essas medidas, apesar de serem necessárias, se tornaram desencadeiam em sérias consequências para a economia do país. Principalmente aqueles que dependem da formalização da assinatura de contratos, com reconhecimento de firma de assinaturas, uma vez que os cartórios estão fechados no RS em virtude da quarentena. 

Mas você não precisa mais perder negócios! Existem alternativas que permitem que você continue vendendo e podem, inclusive, salvar a sua empresa. Entenda como funciona a assinatura digital de contratos, descubra como ela é segura, ágil e eficaz. Confira mais abaixo e feche novos contratos!

O que é assinatura digital de contratos?

O serviço de certificação digital já é utilizado há muitos anos por empresas que precisam de assinaturas rápidas e seguras, mas não as podem obter de maneira presencial. 

Através dele conta-se com o “aval” do certificador, contendo a mesma validade que uma rubrica, por exemplo e sendo válido, inclusive, juridicamente.

Sendo assim, é uma prática bastante útil em tempos de pandemia, já que pode agilizar o fechamento de contratos, sem a necessidade da ordem de reabertura para dos cartórios. Além disso, garante praticidade e segurança aos clientes, não expondo-os ao constante risco de contaminação.

Assinatura Digital de contratos: como funciona?

Com a certificação digital pode-se fazer assinaturas de todos os locais do mundo de maneira rápida, fácil e muito segura. Como contém validade jurídica, é utilizada para todo tipo de área, desde confirmação de transações bancárias até envio de documentação contábil e fiscal através de sistemas ERP.

Além disso, a assinatura digital também é exigida para login em alguns ambientes governamentais, o que a torna essencial para quem possui CNPJ.

Como fazer a sua assinatura digital

O processo para assinar documentos digitalmente é bastante simples e intuitivo. Acompanhe:

  • O primeiro passo é abrir o aplicativo ou site para assinatura;
  • Depois, selecione o ítem que permite assinar documentos;
  • Suba os arquivos do seu computador para o local;
  • Selecione a certificação que deseja utilizar;
  • Escolha um local para saída dos documentos;
  • Clique em assinar. Quando todos os arquivos já estiverem no novo destino, pode-se fechar a guia.

As melhores opções de certificados digitais

Sabendo sobre assinatura digital de contratos, como funciona e suas principais usabilidades, vale conhecer as opções mais utilizadas no Rio Grande do Sul. São elas:

  • e-CNPJ A1 + Sistema Emissor de Notas: para emissão de nota fiscal, bem como cadastro de novos produtos e clientes;
  • e-CNPJ: versão eletrônica do CNPJ da empresa, proporciona mais praticidade no fechamento de negócios e envio de documentação;
  • e-CPF: é a assinatura digital para pessoas físicas, pode ter a duração de um, dois ou três anos;
  • NF-e: voltado especificamente para notas eletrônicas, é instalado no dispositivo do usuário e fica válido durante um ano;
  • e-Jurídico: voltado para advogados já inscritos na Ordem de Advogados do Brasil (OAB);
  • e-Saúde: voltado para os profissionais da área da saúde que desejam armazenar os documentos de seus pacientes sem as vias físicas, evitando o uso do papel;
  • e-Simples: para cadastro no simples nacional, bem como verificação de MEI, parcelamento de débitos e demais funções relacionadas.

Cada uma dessas certificações possui suas particularidades e público-alvo. Desse modo, é recomendado realizar uma análise das necessidades do seu negócio junto ao seu contador antes da compra de uma das alternativas. Assim, será fácil decidir qual opção melhor se encaixa com suas prioridades pré-estabelecidas.

Para saber mais sobre assinatura digital de contratos, como funciona e a opção ideal para o seu negócio, conheça os Certificados Digitais da Parceria Certificadora! parceria.com.br/certificado-digital/

5 principais tipos de clientes do contador

Conhecer os principais tipos de cliente que um contador pode ter é fundamental para quem atua com o foco em qualidade e atendimento de excelência. Isso porque  quanto melhor o contador conhece seus clientes, melhor consegue prever suas necessidades e antecipar as soluções.  

Alguns exemplos de tipos de clientes que merecem especial atenção são aqueles que não cumprem prazos, por exemplo. Se esta característica não for percebida e tratada com atenção, pode gerar atrasos nas obrigações contábeis e trazer sérios problemas para o seu escritório.

Se este mesmo cliente somar outra característica, como ser nervoso e estressado,  pode interpretar errado situações como a deste atraso e fazer reclamações, comprometendo fortemente a reputação da sua empresa.

Assim, entender melhor o funcionamento de cada tipo de cliente ajuda a criar atalhos para lidar com as intempéries do dia a dia, e aliviar um pouco a tensão da rotina de trabalho de um escritório de contabilidade. Que, por sinal, não é nada mole!

Vem conosco descobrir melhor esses clientes neste artigo que preparamos para você? Bora lá!

Confira os principais tipos de clientes e as principais dicas de como lidar com eles:

Para ajudar seu escritório a identificar e tratar bem cada um dos tipos de clientes e as situações delicadas que podem ocorrer durante o relacionamento, listamos as 5 principais situações mais comuns. Aproveite para tentar identificar clientes do seu escritório com este perfil e montar um processo de atendimento padrão para esses casos, atuando já na raiz do problema.

1 – Cliente que não cumpre prazos

Todos sabem que cumprir prazos é essencial se tratando de contabilidade. Porém, há aqueles clientes que sabem dos riscos e vêm com desculpas do tipo “ih, esqueci.. até quando posso te entregar isso?”. São em geral desorganizados e têm dificuldades em garantir prazos e entregas de documentos.

Resolvem problemas apenas quando eles se tornam urgentes, o que pode causar alguns erros e prejuízos como multas pesadas para as empresas e até mesmo a interrupção de seus serviços. Geralmente eles têm dificuldade em entender que manter a contabilidade em dia é muito imprescindível para o bom funcionamento da sua empresa.  

Ao identificar que o cliente tem este perfil, procure adiantar ao máximo as demandas, acompanhando o cliente mais de perto e trabalhando com planejamento. Nunca deixe para cobrar documentos deste cliente muito em cima do prazo ou confie que não será necessário realizar alguns ajustes na documentação.

É importante explicar de forma didática a importância do comprometimento dele, explicando passo a passo o que ele precisa fazer e até que prazos, esclarecendo também as consequências de cada tarefa não executada.

2 – Cliente Nervoso e Estressado

Clientes nervosos ou estressados são um desafio para o contador, que também têm, muitas vezes, uma rotina bem desgastante. Porém é importante ter clareza de que esses comportamentos nem sempre têm relação com os serviços do seu escritório, mas sim ter com outros problemas da empresa do cliente ou até questões pessoais.

Muitas vezes estes são clientes ríspidos e podem ter dificuldade em organizar as ideias ou entender o que lhes é dito.  Os estressados são clientes geralmente pessimistas e sofrem por antecedência, possuem muita facilidade em apontar falhas, por esta razão é necessário alerta constante.

Para esses clientes é recomendado paciência e, antes de tudo, apostar no atendimento de qualidade.  Mantenha-se sempre educado e com o foco na solução do problema apresentado por seu cliente.

Outro ponto importante é tomar cuidado para facilitar a comunicação. Como esse cliente tem dificuldade na compreensão, por estar sempre estressado e pensando em várias coisas ao mesmo tempo, é importante usar uma linguagem clara , didática e muito objetiva.

Dê atenção especial também ao canal de comunicação que usa para falar com este cliente. Se você já observou que ele abre pouco os e-mails, reforce as mensagens importantes por WhatsApp, por telefone ou por qualquer outro canal em que o cliente seja mais disponível.

3 – Cliente avesso à tecnologia

Falar no mundo contábil, sem dúvida também é falar em tecnologia. No entanto, não podemos esquecer que muitos empresários ainda não ingressaram totalmente no mundo digital, e ainda recorrem a anotações e documentos impressos.

Esses são clientes mais desconfiados e tendem a não aceitar muito bem as novas tecnologias, podendo gerar problemas, principalmente com prazos.  A dica é ter paciência e diálogo. Acompanhar as mudanças tecnológicas pode ser tarefa difícil para eles, porém, com paciência e boa comunicação a tendência é de se adaptarem.  

Esse tipo de cliente pode optar ou ter preferência por se comunicar somente por telefone ao invés de outro canal de comunicação online. Muito provável que prefiram, também, relatórios e documentos impressos em vez de informações e documentos trocados por e-mail ou por aplicativos. Consulte seu cliente para saber qual a melhor forma para estabelecer uma comunicação eficiente.

Dica especial: em geral, a secretária ou a recepcionista são personagens que auxiliam muito na comunicação com este tipo de cliente. Mantenha proximidade e descubra, com elas, quais os melhores caminhos para facilitar a comunicação.

4 – Cliente Conversador

Esse tipo de cliente é muito fácil de identificar. Adoram conversar, contar sua rotina empresarial, falar de vida pessoal e compartilhar o planejamento de crescimento do próximo ano.

Por serem comunicativos, costumam trazer informações muito valiosas para o escritório de contabilidade. Todavia, é preciso tomar cuidado para não desviar o foco dos objetivos e necessidades principais.

Para lidar de forma mais eficaz e manter o atendimento de qualidade, crie uma rotina otimizada de comunicação com seu cliente, de modo que não desperdice muito tempo. Torne-se um contador próximo do negócio, e busque sempre a objetividade, fique sempre no controle e conduza a conversa.

Para facilitar as reuniões, uma boa dica é sempre enviar antecipadamente a pauta e ir conduzindo a conversa de modo que todos os itens importantes sejam alcançados. Pré estipular o horário de término das reuniões também é importante, e você pode sugerir começar pelo cumprimento da pauta e deixar aqueles saudáveis “dois dedinhos de prosa” para o encerramento da reunião.

5 – Cliente especialista em Contabilidade

Esse tipo de cliente gosta de participar intensamente da gestão contábil de seu negócio. Costumam ter bastante conhecimento técnico e podem cobrar com excesso as entregas de seu escritório.  Em compensação, também costumam cumprir os prazos e enviar todos os documentos e informações de forma bem organizada.

Gostam de ser informados sobre o andamento dos processos de contabilidade. O que é um direito dele como cliente e uma prática saudável de relacionamento com o cliente.

Entretanto, os exageros podem conturbar o relacionamento e a produtividade do trabalho. Por isso é necessário estabelecer limites e passar confiança na garantia de que os serviços serão entregues corretamente.

Conforme vimos, existem diferentes tipos de cliente e, além de adaptar seu formato de atendimento, também e importante você avaliar que tipo de parceiro vai indicar para os seus clientes, de modo a garantir a qualidade dos serviços e preservar a credibilidade do seu escritório. Você já conhece a Parceria Soluções Empresariais? Atuamos há mais de 10 anos na emissão de certificados digitais em Passo Fundo e mais 40 cidades da região, ajudando nossos contadores parceiros a manter um relacionamento satisfatório e confiável com seus clientes.

Quer saber como se tornar um escritório Parceiro? Entre em contato!