fbpx

Endividamento geral bate novos recordes com a crise do Coronavírus: Como proteger a sua empresa?

Os transtornos econômicos trazidos pela crise do coronavírus não são poucos e o endividamento geral é um dos impactos mais agressivos. Segundo a pesquisa Sondagem do Consumidor, publicada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), 28,6% dos brasileiros já enfrentam o chamado “estresse financeiro”

Isso significa que aproximadamente 60 milhões de pessoas, além de não conseguirem cumprir com seus compromissos econômicos, também estão ganhando menos do que precisam gastar para o essencial.

A pesquisa sobre o “estresse financeiro”, que vem sendo realizada desde 2009 no Brasil, revelou novo recorde no último mês – abril 2020 – conforme gráfico abaixo:

Além disso, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o número de famílias com dívidas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro bateu novo recorde em abril de 2020, alcançando 66,6% – o maior percentual desde o início da realização da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), em janeiro de 2010.  

 A atual instabilidade do mercado gera uma série de dúvidas: como manter o fluxo de vendas necessário para a saúde do negócio, se o brasileiro está mais inadimplente que nunca e  possui menor poder aquisitivo? Quer saber como continuar vendendo mesmo em meio a crise? Então, acompanhe esse artigo que preparamos para você.

Endividamento geral causa aumento na tomada de crédito    

            O endividamento geral é causa da grande baixa nas perspectivas dos brasileiros quanto a conseguirem para as contas – 52% deles declararam que conseguirão pagar apenas parte ou não conseguirão pagar as contas neste momento. Dentre estes 52%, a tomada de crédito, portanto, tem sido a saída a qual 83% estão recorrendo.

São diversas as modalidades de crédito que as instituições financeiras têm oferecido aos seus clientes, conforme é possível observar no gráfico abaixo. 

Cartão de Crédito e Empréstimo Pessoal em Loja somam 12% da escolha dos endividados, o que pode ser visto como uma boa porta de entrada para a formulação de propostas de crédito pelos varejistas.

Como proteger a sua empresa dos impactos do endividamento?

O poder aquisitivo imediato do brasileiro diminuiu, mas sua necessidade de consumo, em muitos aspectos, não. Sendo assim, conseguir dispor de opções de pagamento parcelado, pode ser um dos recursos mais importantes para que o seu negócio não enfrente bruscas quedas de vendas.

Porém, neste assunto é necessária muita atenção e responsabilidade. Lembremos que o endividamento geral traz problemas  não  apenas para os consumidores, mas também para as empresas que, ao deixar de receber, comprometem  a sustentabilidade de seus negócios. 

Sendo assim, ao ceder crédito para clientes que não vão conseguir pagar, sua empresa pode estar criando um problema bem grande.

Mas a pergunta é: como oferecer vendas parceladas com maior segurança de recebimento? Consultar o histórico financeiro dos clientes não só é uma das melhores saídas.

Ao avaliar o perfil de consumo de um cliente, pelo seu Score do Serasa e consultando se há negativações em virtude de dívidas, você reduz os riscos, uma vez que terá condições de escolher oferecer condições de pagamento parcelado para os perfis melhores pagadores.Para te ajudar neste primeiro passo de melhorar sua estratégia de gestão de crédito, a Parceria Consulta Serasa tem um presente muito especial para você: a consulta de um CPF ou um CNPJ totalmente grátis! Acesse nosso site e cadastre-se agora mesmo!

BNDES – Soluções que podem salvar a sua empresa da crise do Coronavírus

BNDES - conheça as soluções que podem salvar a sua empresa da crise do Coronavírus

Diante do difícil momento econômico do Brasil, em função da crise causada pela pandemia do coronavírus, as soluções financeiras do BNDES, Banrisul e demais instituições financeiras  podem ser a salvação de milhares de empresas no Rio Grande do Sul..  

Para o governo do estado, a tomada de decisões é tão complexa quanto um jogo de xadrez.  Por um lado, podemos ter milhões de brasileiros adoecendo e morrendo por conta do contágio com o vírus. Por outro, milhões de brasileiros adoecendo e morrendo em consequência do desemprego e da pobreza causados pelo impacto econômicoOu, o pior dos mundos: a combinação desses dois cenários.  

Nesse contexto, as soluções propostas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e  Social (BNDES) e pelo Banrisul podem surgir como uma luz no fim do túnel e contribuir para a sobrevivência financeira na sua empresa. Conheça algumas das medidas anunciadas.

Medidas do BNDES injetam R$ 55 bilhões na economia

O BNDES aprovou, em caráter emergencial, medidas de execução imediata que somam R$55 bilhões. 

Foi autorizada a transferência de recursos do Fundo PIS-PASEP para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), no valor de R$ 20 bilhões.  Os trabalhadores podem fazer o saque, de acordo com critérios estabelecidos pelo governo.

O BNDES anunciou também a suspensão do pagamento de financiamentos diretos para empresas no valor de R$ 19 bilhões e de R$ 11 bilhões para financiamentos indiretos. Desta forma, o prazo total do crédito será mantido e não haverá a incidência de juros no período de suspensão. 

Outra resolução foi a ampliação do crédito para micro, pequenas e médias empresas (MPMEs), por meio dos bancos parceiros, no valor de R$ 5 bilhões. O limite de crédito por beneficiário para este grupo empresarial será elevado de R$ 10 milhões para R$ 70 milhões por ano, colaborando com a necessidade de capital de giro. 

As empresas terão 24 meses de carência e cinco anos de prazo total para pagar esses novos financiamentos.

Banrisul amplia linha de crédito de Pequenas e Médias empresas e oferece carência em financiamentos

O Banrisul decidiu suspender o pagamento das parcelas de financiamentos nos próximos 60 dias para clientes pessoas físicas e de micro e pequenas empresas. A operação terá 90 dias de carência para o primeiro pagamento, totalizando prazo de 12 meses.

As modalidades de empréstimo que não estão contempladas nesta medida são o cartão de crédito, cheque especial e o crédito consignado, pois possuem políticas de renegociação específicas.

BC anunciou 1,2 trilhões em recursos financeiros para bancos 

E o Banco Central criou novas medidas para injetar R$ 1,2 trilhão de recursos no sistema financeiro. Desta forma, as instituições financeiras terão segurança para ampliar concessões de créditos aos clientes e, principalmente, às empresas. 

As medidas podem ser a solução para que empreendedores consigam se manter nos tempos difíceis e ajudar na manutenção da economia do país. 

Neste momento de pandemia, o Brasil inteiro está passando por uma prova de fogo e, para salvar nossa economia. O caminho é, na medida do possível, preservar os empregos e agir de maneira planejada, calculando cada passo.

Os consumidores estarão com seu poder aquisitivo reduzido. Assim, empresas que oferecerem compras a prazo tendem a conseguir reestabilizar-se mais rápido. Porém, é importante ficar atento aos riscos de inadimplência, que também aumentarão com a crise. Conte com os serviços da Parceria Consulta Serasa para conseguir ampliar seu potencial de vendas de maneira segura. 

Estamos em trabalho remoto, mas estamos ativos. Solicite contato de um dos nossos consultores e saiba tudo sobre o serviço!

ENTRAR EM CONTATO AGORA