fbpx

5 dicas para reduzir a inadimplência dos seus clientes

Encontrar formas de reduzir a inadimplência é uma das principais preocupações do varejo atualmente, diante da crise do novo coronavírus. A brusca queda no rendimento de muitos trabalhadores gera dificuldades para que eles mantenham as suas pagamentos em dia, sendo uma das principais causas para resultados negativos na economia do país. 

Basta acompanhar as notícias para perceber: uma das principais consequências da crise econômica no varejo é o aumento da inadimplência. E ela impacta diretamente o fluxo de capital das empresas que deixam de receber em dia, desestabilizando a sustentabilidade do negócio.

E  a tendência é que a inadimplência cresça ainda mais, visto que inúmeras lojas estão proibidas de abrirem as portas pelas autoridades públicas em diversos estados do país.

Reduzir inadimplência em momento de crise é um grande desafio 

Só no mês de maio, o percentual de famílias com dívidas em cartão de crédito, cheque especial, empréstimo pessoal, prestações de financiamentos e carnês de loja, foi de 66,5%, segundo Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) desde janeiro de 2010. 

A maior alta, desde que a pesquisa é realizada, foi no mês passado, abril, no qual a inadimplência chegou a 66,6%.

No gráfico abaixo, é possível observar também a evolução do PDD (Provisão de Devedores Duvidosos) trimestral nos grandes bancos de capital aberto do Brasil, atingindo aproximadamente 28,5 milhões de reais.

Para evitar que a sua empresa sofra com essas estatísticas, é importante ter algumas cartas na manga. Continue conosco e saiba quais são!

5 dicas para reduzir a inadimplência

Para adaptar as atividades da sua empresa ao que temos chamado de “novo normal”, selecionamos 5 dicas assertivas para te conduzir na redução da inadimplência nos seus negócios. 

Combinando boa gestão, comunicação eficiente e ferramentas adequadas, além de reduzir a inadimplência, você também pode fidelizar seus clientes. Confira!

  1. Mantenha um bom relacionamento com seus clientes

Os seus clientes podem estar em uma situação econômica complicada, então nada como exercer a empatia neste momento. Faça contatos periódicos para ver se está tudo bem, invista em ações de marketing de relacionamento e seja sempre gentil e amigável nas comunicações, principalmente nas de cobrança. 

Desta forma, seus clientes sentirão que são importantes para a sua empresa e que você faz questão de se comunicar não apenas para vender, mas também para levar facilidades a eles.  

  1. Mantenha os dados atualizados

Para conseguir cobrar seus clientes em caso de atrasos, manter os dados deles atualizados nos registros da sua empresa é fundamental. Para isso, existem tecnologias que podem te auxiliar, como ferramentas de CRM, ferramentas de automação de marketing e até serviços de localização dos dados de contato do cliente por meio do número do CPF – como o INFOBUSCA do Serasa, por exemplo.

  1. Flexibilize as condições de pagamento

Flexibilize condições para seus clientes – principalmente para os que estão preocupados em pagar. É importante valorizar o interesse deles em manter os regularizar as dívidas que têm com o seu negócio, mesmo que estejam passando por dificuldades financeiras. 

Neste momento você pode aproveitar para ser criativo e enviar comunicações a todos os inadimplentes oferecendo prazos especiais, descontos, brinde, entre outros. Além de aumentar as chances de receber, a chance de fidelizar este cliente e ele voltar a comprar com você assim que regularizar seus pagamentos, é enorme!

  1. Premie os adimplentes

Premie os adimplentes com descontos, brindes, melhores condições de parcelamento e aumento no limite de compras, por exemplo. Desta forma, fidelizará estes clientes e incentivará os inadimplentes a negociarem as dívidas com a sua empresa, reduzindo a inadimplência deles!

  1. Monitoramento de score

Fique sempre de olho na saúde financeira de seus clientes, principalmente os que compram a prazo. Utilize a alta ou queda do score na pontuação do Serasa, por exemplo, como termômetro para oferecer vantagens nas compras com a sua empresa

Em caso de alta, por exemplo, pode-se liberar mais crédito. Já em caso de queda, estreite o contato antes mesmo do atraso do pagamento para  verificar se o cliente irá precisar flexibilizar as condições de pagamento.

Você já tinha pensado nestas maneiras de reduzir a inadimplência na sua empresa? Podemos te apoiar em diversas ferramentas de gestão de crédito!Entre em contato conosco e aproveite seu o presente super especial que preparamos para você: uma consulta de CPF ou CNPJ grátis! Clique aqui para saber mais!

Endividamento geral bate novos recordes com a crise do Coronavírus: Como proteger a sua empresa?

Os transtornos econômicos trazidos pela crise do coronavírus não são poucos e o endividamento geral é um dos impactos mais agressivos. Segundo a pesquisa Sondagem do Consumidor, publicada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), 28,6% dos brasileiros já enfrentam o chamado “estresse financeiro”

Isso significa que aproximadamente 60 milhões de pessoas, além de não conseguirem cumprir com seus compromissos econômicos, também estão ganhando menos do que precisam gastar para o essencial.

A pesquisa sobre o “estresse financeiro”, que vem sendo realizada desde 2009 no Brasil, revelou novo recorde no último mês – abril 2020 – conforme gráfico abaixo:

Além disso, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o número de famílias com dívidas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro bateu novo recorde em abril de 2020, alcançando 66,6% – o maior percentual desde o início da realização da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), em janeiro de 2010.  

 A atual instabilidade do mercado gera uma série de dúvidas: como manter o fluxo de vendas necessário para a saúde do negócio, se o brasileiro está mais inadimplente que nunca e  possui menor poder aquisitivo? Quer saber como continuar vendendo mesmo em meio a crise? Então, acompanhe esse artigo que preparamos para você.

Endividamento geral causa aumento na tomada de crédito    

            O endividamento geral é causa da grande baixa nas perspectivas dos brasileiros quanto a conseguirem para as contas – 52% deles declararam que conseguirão pagar apenas parte ou não conseguirão pagar as contas neste momento. Dentre estes 52%, a tomada de crédito, portanto, tem sido a saída a qual 83% estão recorrendo.

São diversas as modalidades de crédito que as instituições financeiras têm oferecido aos seus clientes, conforme é possível observar no gráfico abaixo. 

Cartão de Crédito e Empréstimo Pessoal em Loja somam 12% da escolha dos endividados, o que pode ser visto como uma boa porta de entrada para a formulação de propostas de crédito pelos varejistas.

Como proteger a sua empresa dos impactos do endividamento?

O poder aquisitivo imediato do brasileiro diminuiu, mas sua necessidade de consumo, em muitos aspectos, não. Sendo assim, conseguir dispor de opções de pagamento parcelado, pode ser um dos recursos mais importantes para que o seu negócio não enfrente bruscas quedas de vendas.

Porém, neste assunto é necessária muita atenção e responsabilidade. Lembremos que o endividamento geral traz problemas  não  apenas para os consumidores, mas também para as empresas que, ao deixar de receber, comprometem  a sustentabilidade de seus negócios. 

Sendo assim, ao ceder crédito para clientes que não vão conseguir pagar, sua empresa pode estar criando um problema bem grande.

Mas a pergunta é: como oferecer vendas parceladas com maior segurança de recebimento? Consultar o histórico financeiro dos clientes não só é uma das melhores saídas.

Ao avaliar o perfil de consumo de um cliente, pelo seu Score do Serasa e consultando se há negativações em virtude de dívidas, você reduz os riscos, uma vez que terá condições de escolher oferecer condições de pagamento parcelado para os perfis melhores pagadores.Para te ajudar neste primeiro passo de melhorar sua estratégia de gestão de crédito, a Parceria Consulta Serasa tem um presente muito especial para você: a consulta de um CPF ou um CNPJ totalmente grátis! Acesse nosso site e cadastre-se agora mesmo!